terça-feira, 28 de outubro de 2014

Allianz Parque passa em mais um teste

20141025_125422

Caro leitor,

Foi de arrepiar. Acompanhamos in loco mais um dos eventos-teste da Allianz Parque, o nosso estádio. O jogo entre duas equipes do Palmeiras marcou a despedida de Ademir da Guia, que foi um pedido especial feito pelo Divino e atendido pelo clube e pela WTorre, a construtora dessa obra magnífica e imponente. Sem dúvidas, o melhor estádio do Brasil.

20141025_134135

A capacidade deste evento foi aumentada com relação ao do dia 27 de Setembro, onde 3 mil pessoas acompanharam a transmissão de um filme. No último sábado, cerca de 10 mil palmeirenses puderam sentir como será a Allianz Parque em dia de jogos. Testes de segurança e lomoção foram mais uma vez feitos e avaliados, com a mais absoluta tranquilidade.

O entorno do estádio ainda está em obras, mas, segundo a WTorre, para a partida do Palmeiras contra o Atlético-MG, no dia 8 de Novembro, as coisas estarão bem mais em ordem. Vale lembrar que, neste jogo, caso seja confirmado no Allianz Parque, a capacidade será aumentada para 30 mil espectadores.

O primeiro evento já confirmado com capacidade total será o show do cantor britânico Paul McCartney, com duas apresentações no fim de novembro. O jogo do Palmeiras contra o Sport, alguns dias antes, pode, também, acontecer na Arena.

20141025_132051

Assim como das outras vezes, o atendimento à imprensa foi primoroso. Fruto do bom trabalho da MVL Comunicação.

Nos resta esperar de teremos mesmo o jogo contra o Galo na nossa nova casa. A ansiedade é grande. Certo mesmo, é que nós, do Avanti Palestra, traremos todos os detalhes pra vocês.

 

Avanti, Palestra!

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Editorial: No derby, a paz ou a “pas” é utópica

PALMEIRAS-E-CORINTHIANS-PROMOVEM-O-DERBY-e1406472181295

Caro leitor,

Sempre que um jogo clássico está chegando existem muitas formas de analisá-lo, mas algo me chama muita atenção: na maioria dos comentários e prognósticos, acontece o uso constante da palavra PAZ. Seja ela física e macro, devido às brigas extra-campo que envolvem os torcedores organizados, seja ela esportiva, com os clubes envolvidos nos jogo. Isso, confesso, é possível na maioria dos confrontos, mas, em um derby, em um Palmeiras x C*rinthians, a paz não passa de utopia, um mero devaneio.

Vi notícias que as lojas oficiais dos clubes postaram mensagens do tipo: “Adversários só dentro de campo”, ou algo assim. Balela. O que torna este jogo tão grandioso é, também, o que uma torcida FALA para a outra. Deixemos as organizadas de lado, elas não fazem parte do que estou querendo dizer.

O “confronto” entre esses rivais precisa ser valorizado SIM. Que palmeirense nunca tirou um sarro de um corintiano após uma vitória, e vice versa? Que corintiano não pega no pé do palmeirense por causa dessa fase caótica que o clube passa? Esse embate precisa existir sempre e sempre existirá. Portanto, a paz, nesse caso, nunca vai existir.

No âmbito esportivo, a paz só dura até o próximo jogo, e eu não me refiro ao próximo derby. Me refiro a próxima partida que qualquer um desses dois participar. Em caso de derrota, amigos, acabou a paz. Ou, no caso dos nossos rivais, acabou a “Pas”.

Portanto, torcida e mídia, não me venham com esse papo furado de PAZ. Em um derby, ela é absolutamente utópica. Palmeiras e C*rinthians se enfrentam com objetivos bem distintos no Campeonato Brasileiro. O Verde precisa do triunfo para se afastar de vez da zona do rebaixamento, já “eles”, precisam vencer para se consolidarem no G4 e brigar firmemente por uma vaga na Libertadores de 2015, já que foram vexaminosamente eliminados da Copa do Brasil pelo Atlético-MG, o mesmo que nos eliminou do certame.

Aqui, hoje, não farei análises táticas e técnicas. Nesse jogo, nada disso vale a partir do momento em que o melão começa a rolar.

Que vença o melhor e que a “paz” NUNCA exista nesse jogo.

Avanti, Palestra!

Informações: Despedida de Ademir da Guia

IMG_20141024_161357

Caro leitor palestrino,

Está chegando a hora! Mais um dos eventos-teste programados pela WTorre acontece amanhã, no Allianz Parque, a nossa casa, que está quase pronta. Para inaugurar o gramado nada melhor do que um jogo entre as maiores estrelas que já passaram pelo clube, como Edmundo, Evair, Dudu, Leivinha, César Sampaio, Marcos e, claro, ELE, o Divino, Ademir da Guia, que terá sua despedida oficial nesta partida.

Cerca de 10 mil convidados ocuparão parte do estádio, que já tem praticamente todos os laudos de segurança emitidos pela Prefeitura e pelo Corpo de Bombeiros. A Despedida de Ademir da Guia terá início às 10h20, com uma solenidade de abertura. O jogo em si, com dois tempos de 30 minutos, começa às 11h. Ás 13h, ocorre uma zona mista com os jogadores desta partida.

Segundo a assessoria de imprensa da WTorre, a MVL Comunicação, os portões serão abertos para a torcida às 9h30. Ex-jogadores como Djalminha e Rivaldo ainda não confirmaram participação.

Se você foi convidado para o jogo, confira na imagem abaixo algumas instruções:

B0u550ECAAAz2l4

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Despedida de Ademir da Guia no Allianz Parque

Allianz Parque Arena Palmeiras (Foto: Thiago Fatichi / Divulgação)
Caro leitor,

É com muita honra que anunciamos mais um dos eventos-teste que serão realizados na nossa nova velha casa, o Allianz Parque. Trata-se da despedida OFICIAL do maior jogador da história do Palmeiras, o Divino Ademir da Guia, que receberá cerca de 10 mil pessoas em um jogo festivo, mas que terá ares importantes sob a ótica do empreendimento.

Após este evento, os último laudos para liberação da Arena devem ser finalizados, sendo assim, o Palmeiras poderá jogar em breve pelo Campeonato Brasileiro em sua casa, após quatro anos ausente.
Segundo a MVL Comunicação, assessoria da WTorre, o evento terá início no sábado, 25 de Outubro, às 9h. Os convidados serão notificados na próxima semana, bem como os jogadores que atuarão junto ao Divino no novo e belo gramado da Allianz Parque.

O Blog Avanti Palestra, mais uma vez, estará presente e contará tudo aos nossos leitores.

Avanti, Palestra!

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Início da sequência da morte… ou da vida.

O técnico Dorival Junior da SE Palmeiras durante treinamento na Academia de Futebol, no bairro da Barra Funda. São Paulo/SP, Brasil - 10/10/2014. Foto: Cesar Greco / Fotoarena

Caro leitor,

Amanhã o Palmeiras dará início a uma sequência de jogos das mais difíceis deste atual Campeonato Brasileiro. Uma sequência que, no primeiro turno, só nos trouxe um pontinho, e só serviu para atrapalhar o início de trabalho de Ricardo Gareca que, contra adversários mais prontos, pouco pode fazer.

Agora, Dorival Júnior e seus comandados vão poder reverter esse quadro com três desses quatro jogos em casa, no Pacaembu. A começar por sábado, onde às 21h receberemos o Grêmio, 4º colocado, e que é treinado por nada mais, nada menos, do que Luiz Felipe Scolari, que parece ter dado jeito ao tricolor gaúcho.

Para este jogo, não contaremos com Marcelo Oliveira, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. No seu lugar, deve entrar Bruninho ou Washington. No mais, o time deve ser o mesmo que bateu o Botafogo, por 1 a 0, no Maracanã. Uma vitória contra os gaúchos será fundamental para o decorrer do certame nacional.

Nas próximas rodadas, teremos: Santos, no Pacaembu, Cruzeiro, no Mineirão, e o C*rinthians, novamente no Municipal. A coisa vai “aliviar” contra o Bahia, mas na Fonte Nova e depois contra o Atlético-MG, em casa. Ou seja, só teremos pedreira daqui pra frente.

Como o nosso time, apesar da melhora significativa, não inspira total confiança, a grande questão é qual estratégia (do grego, strategia) adotar para esses confrontos. Claro que precisamos, e muito, da vitória, mas, não dá pra pensar nesse time atacando o Cruzeiro no Mineirão, dá?

A minha indicação é: tentar passar ileso por esses jogos até o confronto contra o Bahia. Ou seja, não perder, PRINCIPALMENTE, os clássicos. E digo mais: o único jogo desses, a meu ver, que é OBRIGAÇÃO de vencer, é contra o C*rinthians. Explicarei mais pra frente.

A sequência pode, sim, ser chamada de sequência da morte, mas ela também pode nos trazer a vida. Em caso de sucessos, por exemplo, dos jogos em casa, a nossa permanência na Série A pode ser praticamente selada, restando assim, a briga por uma vaga na Sulamericana.

Vale lembrar que todos esses clubes estão brigando por algo no campeonato. Seja por G4, seja rebaixamento. O título, no meu entendimento, já é do Cruzeiro.

O heroísmo namora com o fracasso.

Hora de torcer.

Avanti, Palestra!